Consentimento pós-informado para a realização de cirurgia histeroscópica - JS Afonso

<<<Retorno para home page (português).


Este link foi atualizado pela última vez em 01 de outubro de 2000 e revisado em 29 de janeiro de 2007.


Este artigo deverá ser citado:

Afonso JS. Consentimento pós-informado para a realização de cirurgia histeroscópica. Disponível em: http://www.histeroscopia.med.br/. Acesso em:

Palavras-chave: consentimento, direito, histeroscopia.

José Sebastião Afonso

CONTATO

e-mail

Como em todo conteúdo deste site (Política de Privacidade, Princípios e Advertências), orientamos que o leitor também procure outras fontes como, por exemplo, os modelos de consentimento da sociedade de especialidade do país correspondente.


Consentimento pós-informado para a realização de cirurgia histeroscópica.


Nome:

Autorizo o Dr. _______________________________ a executar uma histeroscopia cirúrgica, tendo sido anteriormente informada do procedimento ao qual serei submetida.

Procede-se à inserção do histeroscópio, instrumento cirúrgico similar a um telescópio, através do colo do útero, depois de ser previamente dilatado. A cavidade uterina será distendida com uma solução líquida. Via histeroscópio será introduzida na cavidade uterina um pequeno instrumento cirúrgico que permitirá a realização do intervento. 

Vídeos e fotografias da cavidade uterina poderão ser feitos durante o intervento para documentação com finalidade didática. 

Na histeroscopia poderá haver uma finalidade diagnóstica e/ou terapêutica; nesta técnica permite-se à retirada de pólipo e mioma, a ablação endometrial, a lise de sinequia, a ressecção de septo uterino, a cateterização tubária e o controle e remoção do dispositivo intra-uterino.Em particular, no tratamento do mioma uterino, que apresenta um componente intramural, é prevista uma segunda intervenção para a retirada da porção residual quando necessário.Na ablação endometrial é prevista uma falha do método (reaparecimento de sangramento uterino anormal) em cerca de 15% dos casos. 

Depois da cirurgia histeroscópica é aconselhável: 
  • Evitar qualquer atividade que requeira particular concentração após o dia sucessivo da intervenção.
  • Retornar ao trabalho leve a partir do segundo dia após a intervenção.
  • Retornar a plena atividade a partir do sétimo dia após a intervenção.
  • Retorno imediato ao medico se houver qualquer alteração.
Apesar da cautela, a histeroscopia pode apresentar complicações como todos os procedimentos cirúrgicos, algumas das quais graves, a exemplo de: 
  • Perfuração uterina, com possibilidade de lesão de órgão (bexiga, intestino e grandes vasos).
  • Infecção (pouco freqüente).
  • Passagem excessiva para a corrente sangüínea e espaço extravascular de solução utilizada para a distensão da cavidade uterina.
  • Embolia gasosa. 
  • Tais complicações são, todavia pouco freqüentes. 

Há a possibilidade de que, no curso da intervenção ou após, se encontre uma situação que irá requerer um tratamento mais complicado e diferente daquele inicialmente proposto. Deverá então o paciente desde já autorizar, se necessário, uma laparotomia (abertura da barriga com corte do umbigo ao púbis e conseqüente cicatriz) e inclusive a retirada do útero. 

A paciente abaixo assinante declara que: 

Leu todo o conteúdo deste consenso pós- informado.

Compreendeu e está de acordo com o que será efetuado.

Foram-lhe devidamente explicados a intervenção, os riscos (complicações) e as possibilidades alternativas de um modo claro (fácil entendimento para uma pessoa leiga, ou seja, não médica ou profissional de saúde).

Recebeu toda a informações que desejava conhecer e a possibilidade de fazer perguntas e questionar dúvidas.

Declara ainda que pode a qualquer momento antes da cirurgia revogar a sua autorização e o seu consentimento.

Conseqüentemente, houve a sua autorização e o seu consentimento. 

NÃO ASSINAR ESTÁ FOLHA ANTES DE HAVER LIDO ATENTAMENTE, COMPREENDIDO E ACEITO.